Método

Posted on 22/03/2011

0


Como alguém há algum tempo já disse, desde nossos primeiros anos é que recebemos muitas falsas opiniões como verdadeiras, todas elas fundamentadas em princípios e raciocínios muito fracos, mas que não são destruídas ou reformadas porque não levamos muito a sério nossa investigação acerca das coisas, e acerca de nosso mundo.

Aqui, não. Quando eu digo que o nosso mundo é uma grande porcaria, não digo isso apenas por dizer, chacoalhando os cotovelos. Não, eu digo isso metodicamente. E esse método pode ser esquematizado mais ou menos no que segue abaixo:

1. Apresentação do fato: sempre uma notícia ou afim tirado da Internet, que é a nossa fonte científica. O fato sempre conterá um problema, que pode ser implícito ou não. Se estiver oculto, então após apresentar o fato, vou para o passo seguinte, que é:

2. Apresentar o problema: e aí apresento o problema, ora.

3. Apresentação da solução: é preciso que o problema possua uma solução concebível e realizável, que deve ser apresentada também. Por exemplo, supondo que o meteoro que extinguiu os dinossauros aparecesse na previsão do tempo de amanhã, eu até poderia conceber a solução de uma migração de toda a humanidade para Marte, mas isso é irrealizável, então não vale.

4. Apresentação da contradição: apresentada a solução concebível e realizável do problema, é preciso evidenciar sua contradição, ou, em outras palavras, porque a solução não é aplicada para acabar com o problema. Não é entra como contradição uma dificuldade insuperável ou um dado natural como, por exemplo, o fenômeno biológico da fome. Embora ela se ponha nas nossas vidas como um problema, ele não está tanto em sentir fome, mas em não haver comida para saciá-la. Assim, a contradição é haver comida disponível e ainda assim alguém não poder comer mesmo morrendo de fome.

É justamente a demonstração dessa contradição que prova que este nosso mundo é uma porcaria. Mas como este nosso mundo não é apenas uma porcaria, e sim uma grande porcaria, a gente deixa de sentir a gravidade dessas coisas a preço de consolo. Então, o método não se completa sem antes finalizar no próximo passo:

5. Apresentação do consolo: que é basicamente o preço pelo qual vendemos nossa crítica, nossa revolta, nossos princípios e comportamento. E, com isso, fechamos o círculo vicioso que faz este nosso mundo ser uma grande porcaria, que produzirá mais contradições, nas quais procuraremos por mais consolos, que nos faz cada vez piores, e assim vai…

Por conta de estilística, essa ordem nem sempre estará muito bem definida, os passos nem sempre seguirão claramente esse caminho. Mas todos eles estarão dentro dos textos, conectados. Acho. E também, se não estiverem, a esta altura vocês já devem saber por quê.

Anúncios