Porco expiatório

Posted on 25/03/2011

0


-Mas que sacanagem! Por que meu nome tem que ser envolvido nas lambanças que vocês, humanos, aprontam? Realmente, este mundo é uma porcaria droga.

 

De fato, o pobre porco nada tem a ver com isso, coitado. Ele se chafurda na lama por uma questão de necessidade natural, não por um desvio de decência, como nós. E, no entanto, digo aqui que o mundo é uma porcaria, uma grande porcaria. Mesmo que eu diga isso apenas algumas poucas vezes, é o suficiente para ser muito rude com o inocente suíno. E olha que sou palmeirense.

Mas então, que palavra usar para definir este mundo? Droga? Poderíamos dizer que este mundo é uma droga, como sugere o porquinho da foto? Pode ser. Mas para muita gente droga ainda é algo que inspira ideias positivas e um sorriso maroto na cara, então não serve (se pelo menos a overdose dessa droga viesse rápido… mas nem).

Trocar “porcaria” por “cocô” ou afins? Não dá, é chulo e já expliquei isso no “about“. Por mais moscas que sejamos ao nos rejubilarmos neste mundo de merda, não fica muito legal dizer isso sempre neste blog, que é um blog sério.

Saco? Este mundo é um saco? Talvez haja algum sexismo aí, mas certamente falta conteúdo. Saco é algo tedioso, algo que aborrece, e quando irrita, é por essas vias. Ora, este mundo não é um saco. É um lixo também!

Lixo! “Este mundo é um lixo” pode ser uma boa… mas foneticamente é uma palavra tão fraquinha. Não inspira a rebelião de merda ou porcaria, com seus encontros consonantais sonoros, vibrantes, retroflexivos, que chacoalham os tímpanos e a alma. Além de quê, compartilha com o cocô a ideia de reutilização, reciclagem, etc. Desnecessário dizer que esse não é nosso caso enquanto humanidade.

Que tal a palavra “desgraça”. Essa é das mais fortes, de um grupo vocabular superior e refinado e talvez seja a melhor palavra, mesmo. Envolve mais a tragédia em seu aspecto espiritual e cultural e não apela para analogias injustas ou inadequadas. É excelente palavra. Na realidade, eu pensei em usá-la antes mesmo de qualquer outra para resumir a verdade de nosso mundo. Mas achei melhor abandoná-la por uma única razão: se eu escolhesse essa precisa palavra, eu iria usá-la sempre, e tanto, que, no final, ela ficaria banalizada, e perderia toda a beleza de sua gravidade. Depois de dez posts sobre as desgraças deste mundo, poderíamos hipoteticamente nos reunir dizendo barbaridades como “poutz podicre esse mundo eh uma desgraça msm, HSUHSUHSUHSUHU lol“.

 

Aí não, né.

Não é só porque este mundo é uma porcaria que temos carta branca para emporcalhá-lo ainda mais. Mas assim, abandonando a desgraça, a gente vai ter que ficar com a porcaria mesmo. E isso é injusto com o porquinho. Que fazer? Não sei!

Bem, essa é apenas uma das muitas situações sem saída que este nosso mundo nos oferece; aquelas em que se correr o bicho pega e se ficar o bicho come. E é um claro exemplo do que poderia ser chamado de entropia da porcaria, mas não vou tratar de detalhes agora. O que importa é que a porcaria do nosso mundo é tanta que até para podermos nos referir a ela, somos obrigados a fazer mais porcaria. No caso, sacrificar o porquinho.

Como não sei o que fazer para sair dessa sinuca de bico, fico sem fazer nada de diferente: bye, bye, Babe; este mundo é uma grande porcaria.

Anúncios
Posted in: Perda de tempo